quinta-feira, 31 de março de 2011

Estou cansado de "Bolsonaros"!






Estou cansado de gente preconceituosa, de gente que não respeita, que não aprendeu a viver, que, em nome de Deus, sai agredindo, espancando, falando mal, pregando sua mentira de corrupção e violência.

Mais do que a decepção de ver um líder PÚBLICO falar mal do próximo (seja ele gay ou negro), é ver o quanto ele, como formador de opinião, leva milhares de pessoas a exaltarem a sua opinião contrária àquilo que não consideram normal, pressionando a manutenção da violência contra aqueles que sofrem pela mesquinhez do outro.

É impossível associar Deus a pessoas que condenam o próximo, que se reunem para bradar o quão superiores são por serem heterossexuais. "Sou heterossexual, sou melhor do que você" - QUE TIPO DE PENSAMENTO É ESTE? Estou cansado de Deus pois colocam nele os motivos e a justificativa para tamanho escárnio. Talvez o mundo seria mais justo e igual se o ser humano não tivesse que possuir uma crença cega naquilo que o padroniza. Como seria feliz se as pessoas pensassem melhor e descobrissem que o problema em si não é a sexualidade do indivíduo, mas o quanto cada um está interferindo na liberdade do outro. Chegar a espancar alguém só porque parece homossexual é uma das coisas mais incabíveis que posso imaginar em pleno 2011. Ter como representante um deputado que me desrespeita e diz aos 4 ventos que sou promíscuo por ser homossexual (fazendo com que aqueles que agridem se sintam motivados) é o ápice da ignorância e do desespero. Fora Bolsonaro! Fora Bolsonaros!




Isso me cansa, porque todos sofrem com isso. A moda agora é fazer protesto. Nada mais parece ser possível. Fico ainda mais desanimado quando penso que a Parada Gay aqui de São Paulo, que reune um público dos mais volumosos, deveria ser vista como um protesto, mas não é assim que eu a vejo e não deve ser assim que muitos a veem também. Logo, ela não funciona naquilo em que mais precisamos, que neste momento é dizer : QUE MERDA!, EU NÃO AGUENTO MAIS APANHAR DE GENTE QUE ACHA QUE EU SOU ANORMAL!

Para mim, esta frase resume a necessidade de leis que definem a homofobia como crime. Ninguém tem a intenção de AMORDAÇAR (quem assim pensa é conivente com as agressões e assassinatos contra homossexuais que por aí ocorrem; lamento muito por estas pessoas que se recusam a pensar um pouco melhor). Já não é mais concebível que uma pessoa agrida a outra, seja verbal ou fisicamente, pela sua sexualidade. CHEGA!



Estou muito triste em constatar que somos mesmo uma minoria e que, aos olhos de muitos, somos vistos como promíscuos. Devo, então, considerar justa a agressão que leio todos os dias, considerar justo e saudável as crianças que chamam o colega de bichinha, de viadinho, que o encham de porrada para ele aprender a ser gente. Devo considerar justa e divina a intervenção de pessoas que se acham superiores dizendo que ser negro é ser sujo, que ser gay é ser desprezível. Devo considerar justo um sacrifício para me casar com uma mulher contra a minha vontade, só para me enquadrar no perfil de uma pessoa 'normal', ter filhos num mundo onde crianças morrem de fome só para provar a legitimidade do meu sexo 'normal' e condenar tudo aquilo que fugir da minha compreensão ou crença. É esta a justiça que vejo no meu país. Que se torna menos meu a cada dia em que vejo essa desgraça.

Se alguém lê as reportagens da Folha, com certeza reparou o quanto os comentários sustentam o apoio à agressão de um deputado contra sua própria nação.

Compartilho algumas, nem tão fortes, só para eu não ficar puto sozinho;






Comente e, melhor, se você se sentiu desrespeitado, faça o que acha justo para mostrar a quem te agride o quanto todos merecem respeito.

Confirmem presença no protesto online: http://www.facebook.com/#!/event.php?eid=103062809777752

 Assinem as petições (links na página do Facebook)

Não veja o ocorrido, nem nossos protestos, como homessuxais versus heterossexuais (essa é uma visão manipulada; fujamos). A realidade é que somos humanos contra humanos. Todos tem sua individualidade e todos merecem respeito.

Abraços tristes.



Danilo Roxette.

2 comentários:

sidney ferreira disse...

Costumo dizer que paradas gays nunca me representaram por terem perdido o propósito inicial, mas como gay, sou feliz. Me assumo e tenho um relacionamento monogamico que completou 20 anos. Minha sexualidade vai bem obrigado. Se as pessoas cuidassem de seus relacionmantos com atenção e cuidado como eu e meu parceiro fazemos, talvez elas não se incomodariam tanto com o dos outros. Não sou exemplo de nada mas o que as pessoas esqueçem é que todos tem um gay na familia, e dai?! E mais, se ser homossexual fosse opção, seria muito mais fácil ser hétero para não sofrer discriminações e tampouco ficar exposto a violêcias e intolerâncias. Imaginar o sr. deputado na presidencia seria induzir as minorias a um novo holocausto. Quem sabe não seria preciso usarmos um triangulo rosa antes de seremos levados a uma cãmera de gás?

Luck® disse...

Olá, Danilo! É ridículo... Tudo ridículo. Mas, enfim, essas coisas existem mesmo que às vezes a gente queira sumir e fingir que só acontecem lá longe, do outro lado do Mundo.

Eu denuncio em um site (o SAFERNET) que acolhe reclamações de intolerância de vários tipos. Não sei se ao certo, quem está por trás do site "funciona", mas é um primeiro e rápido passo. Números de solicitações são gerados.

Penso que assinar no FB também ajuda e já estou indo assinar as petições que você aponta na postagem.

A título de informação, é preciso entender e fazer entender - de uma vez por todas, o que a CONSTITUIÇÃO traz como DIREITO A LIBERDADE DE PENSAMENTO (LIBERDADE DE EXPRESSÃO). Está no artigo 5o, se não me engano. E não é difícil de entender (não existe uma linguagem difícil, capciosa, como alguns poderiam imaginar).

Grosso modo, todo mundo tem o direito de se expressar como quiser DESDE QUE se responsabilize por aquilo que diz. E é esta última parte que as pessoas ignoram (por falta de caráter, por ignorância, sei lá o que mais) e que lhes permitem se travestir no papel de vítimas, de perseguidas "só" porque resolveram dizer o que pensam.

Bem, é isso!

Abraço.
Luciano.